Por que garantir motivação e felicidade é um desafio constante das empresas?

Um funcionário feliz e motivado é um funcionário produtivo. Apesar de isso parecer bem evidente agora, durante muito tempo não era assim que a empresa via seus colaboradores. O medo era um grande motivador que, além de ser muito ineficiente, contribui para uma péssima qualidade de vida dos profissionais. Não é fácil mudar este mindset, mas garantir o bem-estar dos funcionários é um dos desafios constantes para qualquer empresa.

A importância da felicidade no trabalho

Quantas horas uma pessoa passa no trabalho? Pelo menos 8, na maioria dos casos? Isso é um terço do seu dia, o que significa um terço da sua vida. Imagina passar este tempo infeliz.

O problema é que ser infeliz no trabalho não é difícil, nem incomum. O estresse, a preocupação com os resultados, a sensação de não ter apoio da liderança, além de todas as delicadas relações interpessoais, são ingredientes que podem resultar em um ambiente bem desanimador.

Agora, imagine como isso afeta a produtividade do funcionário? É muito difícil trabalhar nestas condições.

O poder de um colaborador feliz

Um colaborador feliz, para começar, tem muito menos vontade ou necessidade de sair do emprego. O ambiente hostil, com uma rotina maçante, uma carga horária exagerada e uma liderança ruim, são alguns dos maiores contribuidores para a alta rotatividade.

O que todos eles têm em comum? Envolvem a busca pela felicidade. Isso é algo que todos buscamos, em cada aspecto da nossa vida. No trabalho, não é diferente.

Não é à toa que as maiores empresas do mundo investem muito na qualidade de vida de seus funcionários. Benefícios como plano de saúde e diversos outros, são ótimos, mas sessões de spa, espaços para descanso e inúmeras ações que seriam impensáveis, tem um gigante impacto na felicidade e qualidade de vida do funcionário. Consequentemente, sua produtividade é muito maior.

Como encontrar a felicidade no trabalho?

Encontrar a felicidade nas empresas é um desafio tão grande e tão constante principalmente porque ela é tão difícil de definir. O conceito de felicidade é bem pessoal e subjetivo, podendo variar para cada um.

É claro que alguns pontos são comuns a todos. Ninguém gosta de estresse e todo mundo precisa ter uma boa noite de sono, por exemplo. Mas, especialmente em relação aos objetivos e a forma de tratamento, a felicidade pode variar bastante.

Por isso, o papel dos líderes não é fácil. Por exemplo, estabelecer um happy hour para uma confraternização com os funcionários é uma excelente ideia! Mas, nenhuma ideia é para todo mundo. Pode existir aquele colaborador que está doido para ir para casa e passar um tempo com a família.

É apenas cada um que pode dizer o que é felicidade para si. Por isso, o líder que quer implementar a felicidade na sua empresa precisa ter uma habilidade muito importante, que não é tão fácil de encontrar: ouvir.

O que você acha? Você concorda que um profissional feliz trabalha muito melhor e que a liderança precisa colocá-lo na melhor posição para ter sucesso? Se quiser aprender mais sobre a ciência da felicidade e como ela pode influenciar o trabalho, e toda a vida, conheça o nosso site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *