Palestra de Felicidade, por quê contratar?

Quando se organiza uma convenção de vendas ou um evento corporativo, as empresas querem uma coisa: RESULTADO. E para aumentar esses números, sabemos que um bom planejamento, uma boa estratégia e um processo otimizado são fundamentais para conseguir com que as pessoas estejam no mesmo intuito.

Para conseguirmos êxito em nosso evento, os números que virão posteriormente a eles devem estar dentro de um planejamento, num quadro de metas estabelecido.

Precisamos que os colaboradores vendam mais, atendam melhor, resolvam mais problemas, sejam mais engajados e se possível, até fiquem menos doentes. E como ativar essa ponte que une o planejamento da empresa às ações dos colaboradores? Primeiramente entendendo como seu colaborador, enquanto ser humano, funciona, como sua mente, seus hábitos e suas ações são desenvolvidas, criadas e executadas.

Todos nós temos uma quantidade limitada de energia em nosso conjunto corpo/mente para serem gastas durante o dia. Seria bem razoável entendermos que se por algum motivo, pessoas tivessem mais energia que as outras, elas produziriam mais, trabalhariam mais e melhor. E é exatamente isso que acontece. Muitas vezes não é erro do planejamento e nem da forma que ele é comunicado, necessariamente. É que, se parte de nossa equipe é composta de pessoas com baixa energia, elas tem um potencial muito menor que as demais.

De toda energia que temos, quanta dela sobra para fazer o que realmente tem que ser feito? Como assim?

Imagine que parte dessa energia está sendo gasta com: pensamentos negativos, ansiedade, depressão, relacionamentos tóxicos e conturbados, medo, culpa, frustração, falta de perdão, barulho mental e baixo índice de satisfação com a vida. Quanta energia sobra para o trabalho, família e tudo mais que deve ser feito por uma pessoa produtiva?

É exatamente por tudo isso que a ciência da felicidade luta. Pessoas felizes produzem mais, e agora ficou fácil de enxergar a relação. Pesquisas e mais pesquisas mostram números surpreendentemente discrepantes quando comparamos pessoas felizes com pessoas infelizes no mercado de trabalho.

Segundo a palestra “A Margem de lucro da FELICIDADE” (baseada nos estudos científicos da Psicologia positiva), a felicidade não se resume em uma única definição, ela é composta de 5 pilares fundamentais que devem estar firmados dentro das suas forças e virtudes.

Assim, desperta no colaborador a necessidade de ser feliz, afinal qual é o caminho, ter sucesso para ser feliz ou ser feliz para ter sucesso? Além disso, mostrar o caminho para manutenção dos pilares da felicidade onde seus conflitos internos começam a ser curados, aumentando assim a energia que será gasta durante seu dia de trabalho e em família!

Hoje, o que mais as empresas me procuram para fazer é a consultoria em felicidade, um programa completo de levantamento de diagnóstico sobre os pilares da felicidade. Logo após um treinamento de 12 horas, finalizamos com um acompanhamento de 66 dias na implementação de soluções estratégicas para o aumento do nível de felicidade e bem estar dos colaboradores. Os resultados são assustadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *