Como aplicar a felicidade na sua vida?

A felicidade é um estado de espírito que habita a alma daqueles capazes de a sentir.

Embora seja muito confundida com a alegria, a felicidade expressa um sentimento interno e verdadeiro, que se torna constante no decorrer do autoconhecimento de cada um. A alegria, enquanto uma emoção, é uma sensação momentânea proveniente de acontecimentos externos que fazem com que o ser vibre e se agite em atitudes. No entanto, temos a felicidade enquanto um sentimento, expressa internamente através da satisfação de sentir-se completos equilibrados.

Muitas pessoas acreditam na felicidade como um propósito de conquistas materiais, como a aquisição de um carro ou de um imóvel, roupas caras e estilosas, passeios em lugares extraordinários, etc. Há aqueles que depositam a sua felicidade nas mãos de outras pessoas e se esquecem do quão importante suas escolhas são para si mesmas.

Mas, como aplicar a felicidade na sua vida?

  1. Cuidar do corpo e da mente: ser feliz e aprender a respeitar a si própria, olhar para você mesma com carinho e cuidar do seu corpo e da sua mente na tentativa de manter uma vida saudável e positiva. Exercícios físicos possibilitam a sensação de bem-estar consigo mesma e pensamentos elevados proporcionam a positividade para dias prósperos e produtivos.

  2. Entender a felicidade: não é possível ser feliz se não se sabe o que é a felicidade. A felicidade não depende de outras pessoas, ela pertence estritamente ao seu estado interior e é somente compreendendo a si mesmo que se vivencia a felicidade.

  3. Ter equilíbrio, força e amor na alma: sentir a felicidade é estar em equilíbrio com os seus sentimentos e suas emoções, com a força de que necessita para que se ultrapassem os obstáculos preservando sempre os bons sentimentos e a essência do bem envolvendo sua alma.

  4. Gratidão: observar e agradecer a todas as oportunidades e ao que recebemos para os nossos processos evolutivos. Isso é uma forma de expressar o sentimento de gratidão. Compreender que as vivências do hoje são muito importantes para que o nosso EU interior seja cada vez melhor em essência e sabedoria. Agradecer pelos momentos bons e pelas oportunidades de recomeçar em cada amanhecer, com a gratidão de quem trabalha para o bem em todas as suas extensões.

  5. Cultive boas companhias: a felicidade inicia-se em si mesmo, mas conforme impregnada na nossa alma passamos a externá-la atingindo aqueles que nos cercam. Cultivar boas companhias, exercitando sempre o autoconhecimento e expressando o amor e respeito ao próximo, nos conduz a relacionamentos saudáveis e plenos em bons sentimentos.

A felicidade é sentir que está muito mais próximo do que você imagina, está dentro de si mesma a partir da sua auto aceitação e da compreensão de que você é completo mesmo com todas as suas imperfeições. Quando você encontra o seu equilíbrio e deixa de se culpar por suas escolhas, passando a se olhar com amor e compaixão, está exercitando a felicidade em sua própria e verdadeira essência.

Para ler mais artigos, acompanhe nossas publicações neste blog.

Consultoria de FELICIDADE nas empresas? O que é isso?

Desde 400 anos antes de cristo, Sócrates já dizia que sábio é o homem que põe em si tudo que traz felicidade ou dela se aproxima. Desde então, cientistas e estudiosos vêm tentando decifrar o que traz felicidade ou dela se aproxima. Dando um salto gigante na linha do tempo, há quase 20 anos, Martin Seligman desenvolveu a psicologia positiva que é o estudo da felicidade e do bem-estar. O israelense Tal Ben Shahar, criou em Harvard a Aula de Felicidade e bem-estar.

Há alguns anos, aqui no Brasil, agrupei todos esses conhecimentos e outras literaturas que falam de felicidade, desenvolvimento humano e profissional, cases de resultados de sucesso pelo mundo, funcionamento da mente humana (neurociência), dentre outros conhecimentos, e desenvolvi a única imersão em felicidade do Brasil. Esse treinamento se chama MÉTODO SIM. São dois dias de conhecimento, diagnóstico e ferramentas para desenvolver a felicidade e o aumento do nível de satisfação com a vida. E temos ajudado inúmeras pessoas que voltam a ter esperança novamente.

Essa treinamento começou a ser difundido entre as empresas, uma vez que os líderes e gestores entenderam o que explica o título de uma das minhas palestras mais pedidas, “A Margem de Lucro da Felicidade”, onde além de compartilhar o que são os 5 pilares da felicidade, mostro que felicidade dá lucro, que pessoas felizes produzem mais e melhor. Siga o raciocínio:

Quando você sai de casa e vai a padaria, você prefere que a moça da padaria seja feliz ou infeliz? Daí, você passa no posto e prefere que o frentista seja feliz ou infeliz? Então vai ao banco e prefere uma gerente feliz ou infeliz? Um dentista feliz ou infeliz? Médico? Borracheiro? Vendedor? E a pergunta fundamental é: por que você prefere que esses profissionais sejam felizes? Porque você seria melhor atendido e certamente teria um prazer inconsciente de voltar àquele estabelecimento e gastar seu dinheiro lá? Resposta mais que correta. Agora imagina se pudéssemos desenvolver na sua empresa um programa para aumentar a felicidade dos seus colaboradores.

Por esse motivo desenvolvemos o METODO SIM In Company, uma consultoria em felicidade em 4 principais estágios:

1- Pesquisas de diagnósticos.
2- Treinamento de imersão de 12 horas em um único dia.
3- Implementação de programas dentro da empresa para continuidade do processo.
4- Análise de resultados internos e externos.

Os resultados são surpreendentes, de quem já resolveu problemas de produtividade, afastamento por acidente e doença, turnover, criatividade, dentre outros. Cuidando da forma correta, com profissionais corretos, da felicidade dos colaboradores.

Isso é o MÉTODO SIM In Company – Consultoria em FELICIADE nas empresas.

Palestra de Felicidade, por quê contratar?

Quando se organiza uma convenção de vendas ou um evento corporativo, as empresas querem uma coisa: RESULTADO. E para aumentar esses números, sabemos que um bom planejamento, uma boa estratégia e um processo otimizado são fundamentais para conseguir com que as pessoas estejam no mesmo intuito.

Para conseguirmos êxito em nosso evento, os números que virão posteriormente a eles devem estar dentro de um planejamento, num quadro de metas estabelecido.

Precisamos que os colaboradores vendam mais, atendam melhor, resolvam mais problemas, sejam mais engajados e se possível, até fiquem menos doentes. E como ativar essa ponte que une o planejamento da empresa às ações dos colaboradores? Primeiramente entendendo como seu colaborador, enquanto ser humano, funciona, como sua mente, seus hábitos e suas ações são desenvolvidas, criadas e executadas.

Todos nós temos uma quantidade limitada de energia em nosso conjunto corpo/mente para serem gastas durante o dia. Seria bem razoável entendermos que se por algum motivo, pessoas tivessem mais energia que as outras, elas produziriam mais, trabalhariam mais e melhor. E é exatamente isso que acontece. Muitas vezes não é erro do planejamento e nem da forma que ele é comunicado, necessariamente. É que, se parte de nossa equipe é composta de pessoas com baixa energia, elas tem um potencial muito menor que as demais.

De toda energia que temos, quanta dela sobra para fazer o que realmente tem que ser feito? Como assim?

Imagine que parte dessa energia está sendo gasta com: pensamentos negativos, ansiedade, depressão, relacionamentos tóxicos e conturbados, medo, culpa, frustração, falta de perdão, barulho mental e baixo índice de satisfação com a vida. Quanta energia sobra para o trabalho, família e tudo mais que deve ser feito por uma pessoa produtiva?

É exatamente por tudo isso que a ciência da felicidade luta. Pessoas felizes produzem mais, e agora ficou fácil de enxergar a relação. Pesquisas e mais pesquisas mostram números surpreendentemente discrepantes quando comparamos pessoas felizes com pessoas infelizes no mercado de trabalho.

Segundo a palestra “A Margem de lucro da FELICIDADE” (baseada nos estudos científicos da Psicologia positiva), a felicidade não se resume em uma única definição, ela é composta de 5 pilares fundamentais que devem estar firmados dentro das suas forças e virtudes.

Assim, desperta no colaborador a necessidade de ser feliz, afinal qual é o caminho, ter sucesso para ser feliz ou ser feliz para ter sucesso? Além disso, mostrar o caminho para manutenção dos pilares da felicidade onde seus conflitos internos começam a ser curados, aumentando assim a energia que será gasta durante seu dia de trabalho e em família!

Hoje, o que mais as empresas me procuram para fazer é a consultoria em felicidade, um programa completo de levantamento de diagnóstico sobre os pilares da felicidade. Logo após um treinamento de 12 horas, finalizamos com um acompanhamento de 66 dias na implementação de soluções estratégicas para o aumento do nível de felicidade e bem estar dos colaboradores. Os resultados são assustadores.

Felicidade é uma ciência?

Você já deve ter se perguntado: afinal, o que é felicidade? Talvez você se sinta uma pessoa feliz, talvez não. Talvez consiga assumir que ainda não encontrou a felicidade, talvez não. Mas isso não importa. O que é realmente relevante para o momento é sabermos que felicidade é tudo que buscamos na vida, desde que nascemos até nosso último fôlego de vida. É um desejo universal e acredite, nós não estamos sozinhos.

O estudo da felicidade é bem antigo. Sócrates, mais de 400 anos antes de Cristo, já dizia que: “Sábio é aquele que põe em si tudo que traz felicidade ou dela se aproxima”.

Há aproximadamente 20 anos, Marting Seligman começou um estudo que se chama Psicologia Positiva. Esse estudo busca o que traz sensação de felicidade e bem estar para a vida das pessoas. Desde então, existem duas obras que eu gosto muito enquanto um especialista em felicidade: Felicidade Autêntica e, Florescer. Ambas as obras são baseadas na conquista da felicidade.

Há alguns anos, em Harvard, um professor israelense, Tal Ben Shahar, criou a aula de felicidade e bem estar e, de lá pra cá, muito tem se estudado sobre o assunto. Outras universidades como a PUC MINAS oferece o curso de Ciência da Felicidade e Bem-Estar, que é ministrada por mim e pelo professor Renato Bruno. Com as bases da psicologia positiva ajudamos pessoas a identificar o que falta para descobrir a felicidade.

Com tantos estudos, tantas pesquisas sobre o assunto, não tem como não dizer que sim, FELICIDADE é uma ciência, logo, ela pode ser aprendida e ensinada. É isso que muitas pessoas vem fazendo, estudando e aprendendo cada vez mais a felicidade, pois ela não tem limite máximo. Segundo a própria ciência da felicidade, sempre há como aumentar seu nível de felicidade, bem estar e satisfação com a vida.

É o que levo para as pessoas em minhas palestras, que muitos veem como palestras motivacionais. Mas é muito mais do que isso quando descobrimo que motivar equipes, ou motivação em vendas, passa também pelo interesse que a pessoa tem no trabalho e na vida, temas abordados incessantemente nos treinamentos de felicidade.

Em resumo, a felicidade é um potencializador de resultados e a ciência está aí para nos ajudar cada vez mais a encontrar a FELICIDADE!

Por que FELICIDADE é tão procurado pelas empresas?

Há alguns anos, pesquisas entre profissionais felizes e “não felizes” mostram uma diferença gritante entre seus desempenhos. Médicos felizes são 3x mais inteligentes e criativos, o que lhes dá uma capacidade maior em acerto de diagnósticos em tratamentos. Vendedores felizes fecham 56% mais vendas. Gestores felizes aumentam significativamente a eficácia e reduzem o estresse no ambiente de trabalho. Colaboradores felizes tem maiores desempenhos e salários mais altos, além de reduzirem 15 dias/ano o afastamento por doenças. Além disso, os mais felizes são:

25% mais eficientes;
47% mais produtivos;
50% mais motivados;
82% mais satisfeitos;
108% mais engajados, quando comparados com colaboradores “não felizes”.

Se você fosse um empresário, sabendo disso, também não iria correndo procurar mais sobre o assunto? Essa é só uma das inúmeras pesquisas pelo mundo sobre esse novo velho tema: FELICIDADE.

Hoje, no Brasil, há poucos especialistas na área, por isso a maioria das informações tem vindo de fora, em especial Estados Unidos, pioneiros em treinamentos corporativos, palestras motivacionais e desenvolvimento humano dentro das empresas, afim de extrair o máximo dos seus colaboradores.

Em minha palestra “A Margem de Lucro de FELICIDADE” mostro exatamente o que os colaboradores precisam fazer para alcançar a felicidade. A linguagem é personalizada para a classe e o público em questão.

Hoje vivemos na era da informação que em meio a tantos benefícios, os malefícios não demoraram a aparecer. Com tanta informação disponível, fica difícil escolher qual caminho seguir. Então, as pessoas tem iniciado um caminho, logo veem outro e mudam a trajetória, encontram uma dificuldadezinha e partem para outro lado, oposto. Como nenhum resultado é imediato, essas pessoas, por motivos óbvios, não tem alcançado resultado nenhum em suas buscas e vem se tornando cada vez mais frustradas, sobrecarregadas, infelizes e por consequência disso, IMPRODUTIVAS. Agora, imagine isso acontecendo com sua equipe?

Quando entendemos que os problemas não são somente competências técnicas, mas sim falta de energia, meios e recursos para colocar em prática seu conhecimento, entendemos que o poder está no comportamento. E uma vez que entendemos que a felicidade é um conjunto de comportamentos que dará sentido e assim fará com que tais pessoas estejam livres para trabalhar e viver mais e melhor, temos um caminho a seguir.

Empresas norte-americanas, dentre outras nacionalidades pelo mundo, descobriram esse potencial da felicidade nos seus resultados finais e a chamaram de “a vantagem competitiva da felicidade”.

Na palestra, primeiramente identificamos a felicidade como um desejo universal e definimos, segundo a ciência, o que é felicidade! A ciência explica que ela não se baseia em um conceito apenas, mas sim em um constructo de 5 pilares que são: Engajamento, Emoções positivas, Propósito, Realizações e Relacionamentos de Qualidade. Assim, partimos para o diagnóstico e para a manutenção de cada um deles.

Todas as empresas por onde passamos com a palestra e principalmente com a consultoria em felicidade, chamada de MÉTODO SIM In Company, tivemos resultados absurdamente maiores dos que os atuais. Nenhum outr treinamento surtiu tanto efeito em tais empresas, segundo seus gestores.

Uma coisa já é sabida, FELICIDADE DÁ LUCRO, além de cumprir um propósito incrível em participar na construção da felicidade na vida das pessoas.

O negócio é ser Feliz.

Por que muitas pessoas não acreditam em palestras motivacionais

O mercado de palestras motivacionais teve seu “boom” há algumas décadas nos EUA. Eles entenderam que a motivação no trabalho se fazia necessária e que uma palestra motivadora gerava mais resultados, em especial, para equipes de vendas.

Mas, por qual motivo de uns anos para cá, algumas pessoas não mais acreditam que uma palestra de motivação pode potencializar a estratégia de vendas de uma empresa?

Para entendermos o motivo dessa crença, passamos por vários temas de palestras, até pararmos nas chamadas “palestras show”. Nela, palestrantes de sucesso usam diferentes expressões artísticas como música, mágicas e artes cênicas para atrair a atenção da audiência. Geralmente, essas palestras são consideradas as melhores palestras.

Porém, alguns profissionais começaram a abusar desses recursos e tornaram uma palestra motivacional em um excesso de gritos, dinâmicas e excitações efêmeras, que na hora até geram um certo entusiasmo, mas logo passa e tudo volta como se o treinamento motivacional não tivesse acontecido.

É uma triste realidade para quem entende, conhece e sabe o potencial de palestras e palestrantes para motivar equipes.

Nós seres humanos somos seres sociais, vivemos em grupo e sentimos uma necessidade inconsciente disso. Já perceberam o quanto somos influenciados pelo meio? Quanto mais casos de sucesso presenciamos, mais acreditamos que podemos ter sucesso também, e cientificamente falando, aí está o grande poder de palestras motivacionais.

Motivar equipes é uma arte dominada por poucos. É um trabalho muito sério, que a ausência de extremo profissionalismo, cuidado e destreza, pode colocar tudo a perder. Justamente por que não somos máquinas e computadores, somos seres emocionais, bem como nossas decisões.

Então, como verdadeiramente motivar funcionários? Escolhendo verdadeiras palestras para empresas que cumpram seu papel, palestras para SIPAT que cumpram seu papel, inspirar e assim mudar comportamentos, atitudes e por fim, resultados. Isso é motivação!

Conheci pessoas que não acreditavam em palestras motivacionais até conhecerem uma palestra de verdade, uma palestra (e palestrante) profissional. Pois, por trás de um microfone, deve existir muita ciência, estudos como PNL e outras ferramentas poderosas.

O palestrante deve ser exemplo. Deve ter tido a sua vida transformada por aquilo que ensina. Se isso acontecer, certamente nunca deixará de acreditar nesse trabalho maravilhoso e fundamental que faz nas empresas, negócios e equipes que o contratam.

Boa contratação!
Um abraço
Renner Silva

Devo contratar palestra motivacional?

A pergunta “Devo contratar um palestrante?” faz tanto sentido quanto a pergunta: “Devo contratar um professor particular?” ou “Devo contratar um marceneiro, um pintor, um engenheiro, um dentista?”.

Se você não sabe fazer o que esse profissional faz, sim, você deve contratá-lo e acredite, se acha caro um bom profissional, é porque não faz ideia do que vai te custar um amador!

O problema é que, como qualquer outro profissional, existem vários tipos,
valores, competências e entregas.

No caso de um profissional liberal ou aquele que é contratado por uma demanda específica, corre-se um risco grande de uma decepção e transtornos devido à possibilidade de uma baixa qualidade de entrega.

No caso da contratação de um palestrante motivacional, o objetivo de se fazer uma palestra para empresas, geralmente convenção de vendas, é motivar equipes.

O profissional das palestras motivacionais tem o poder de transformar palavras em atitudes, a fim de buscar nas pessoas o resultado esperado. Ou seja, não é um trabalho tão simples quanto parece. Portanto, é imprescindível que sua contratação potencialize resultados, seja em sua estratégia de vendas, engajamento de equipes ou até mesmo palestras para SIPAT.

E quanto custa um palestrante? Como dissemos, assim como qualquer mercado, existem palestras e palestrantes de todos os tipos, gêneros e valores, bem como entregas e resultados.

Por isso é difícil responder a essa pergunta. Mas um bom palestrante não vai te custar menos de R$ 10.000,00. Um excelente investimento se você acertar na contratação.

Muitos palestrantes de sucesso usam o termo “palestra show” para uma palestra transformadora e envolvente. Mas de nada adianta plumas e paetês se o conteúdo não cumprir o seu papel: inspirar pessoas.

Humor e outras ferramentas são muito eficazes para atrair a atenção em uma palestra de motivação, mas como o próprio nome já diz, o principal intuito das palestras motivacionais é fazer com que as pessoas encontrem SEUS MOTIVOS para AÇÃO.

O resultado da empresa depende de produção e essa, por sua vez, está diretamente ligada ao nível de engajamento, da ação e da atitude dos seus colaboradores. Assim, entendemos que os motivos e sonhos das pessoas estão diretamente ligadas ao sucesso do seu negócio.

Fica fácil enxergar que motivação no trabalho é essencial para o crescimento da empresa. E, um bom palestrante motivacional sabe como fazer, como motivar funcionários, impulsionar o time de vendas, dentre outros objetivos essenciais para o bom desenvolvimento de uma equipe.

Para ajudar a escolher as melhores palestras você pode recorrer a vídeos de palestras. Mas aconselho a assistir na integra, aí sim terá um termômetro mais real da transformação gerada, pois se inspirar você, certamente funcionará com seus colaboradores.

Escolher quem você vai contratar para aumentar a motivação no trabalho é uma das tarefas mais difíceis, mas é o melhor caminho para que possamos obter resultados incríveis na sua empresa e no seu negócio.

Boas contratações de palestrantes!
Um abraço,
Renner Silva

Produtividade nas empresas, tem segredo?

Profissionais de alta performance no mundo inteiro estão obtendo resultados incríveis com essas técnicas aparentemente simples, mas que funcionam como mágica.

Se trata de ter como hábito NÃO RECLAMAR.

Sim, a reclamação está diretamente ligada à produtividade. Entenda o por que pessoas que reclamam menos ganham mais dinheiro através da nossa teoria do “logo”.

Reclamo menos, logo:

Reclamo menos, logo resolvo mais, pois se me obrigo a não reclamar, me obrigo a resolver. Logo, sou mais produtivo, pois resolvo mais do que outras pessoas, logo as empresas estão à minha procura, pois minhas soluções farão seu faturamento aumentar. Logo, ocuparei cargos mais altos, logo ganharei mais dinheiro!

Todos os grandes líderes de grandes companhias adotam o perfil da “não
reclamação” pois é o que funciona.

O pensamento é: não importa onde nasceu o problema, importa é que se ele
chegar até mim, em mim ele vai morrer.

É muito fácil você entender como o mercado funciona se você concordar com a frase “o olho do dono é que engorda o porco”. Vamos entendê-la. A frase dita a muitos anos nada mais diz que ninguém está mais interessado nos resultadosdos negócios do que o próprio dono do negócio. Então esqueça o porco e imagine-se na seguinte situação:

Você possui um pequeno comércio físico, uma loja de roupas, por exemplo. Todo seu crescimento e sustento depende dessa loja, então você obviamente deseja mais do que ninguém que ela tenha muito sucesso, que venda muito e que você ganhe muito dinheiro e realize seus sonhos.

Essa motivação faz com que você resolva tudo que aparecer pelo caminho. Você tem prazer em fazê-lo. Então, problema aparecido é problema resolvido.

Porém com esse sucesso ou crescimento você não consegue resolver tudo sozinho, pois além das vendas, organização, fluxo de caixa, limpeza, estoque, compras, dentre outros serviços, você ainda tem que se preocupar com o principal, o atendimento ao cliente.

Assim, você tem várias variáveis e pode encontrar pequenos problemas ou obstáculos em cada uma delas. Não tem saída. Você enxerga a necessidade de contratar.

Dessa forma, você contrata 3 vendedores, com níveis de experiência diferentes, um ano, três anos e nenhuma experiência.

As contratações deram certo e seu negócio cresce mais ainda, e agora chegamos no ponto que queríamos. Você precisa contratar mais vendedores e efetivar um dos vendedores a gerente da loja. Esse gerente obviamente ganhará mais responsabilidade e mais dinheiro com o novo cargo.

Qual dos vendedores você vai efetivar? O mais antigo? O mais experiente? Não, você vai efetivar aquele que faz as coisas mais próximo do que você faria. Em outras palavras, você vai efetivar aquele que mais FAZ, ou seja, o que mais resolve problemas.

Um amigo palestrante, Prof. Gretz já dizia: “O mercado te contrata por aquilo que você sabe, mas só te efetiva por aquilo que você faz”.

Agora, por outro lado, temos problemas acontecendo o tempo todo. Problemas com clientes, com estoque, com peças, com organização ou a falta dela, problemas com as outras pessoas que são movidas por ego, etc. Problemas e mais problemas aparecem naturalmente no dia a dia comercial.

É muito óbvio entender que reclamar de problemas que já existem apenas perpetuam o problema, afinal, sabemos que reclamar não resolve e reclamar é geralmente o que as pessoas fazem.

Um dos segredos de pessoas de sucesso é se policiar 24 horas por dia quanto a reclamação, pois sabem que, se naturalmente não se permitem reclamar, naturalmente se “obrigam” a resolver!

Pessoas que resolvem mais produzem mais, pessoas que produzem mais são reconhecidas como pessoas que se parecem como pessoas incríveis que fazem o fluxo positivo e o faturamento subir e em fim, essas pessoas são muito, mas muito mais bem pagas do que as demais, pois elas são disputadas no mercado de trabalho em qualquer área que seja.

Toda empresa ou empreendedor, toda seleção ou toda técnica desenvolvida por RH’s (recursos humanos) é para tentar de alguma forma descobrir o perfil da pessoa, ou seja, antecipar como aquela pessoa agiria diante das possíveis situações. O perfil de resolver e solucionar problemas é muito facilmente observado e detectado por profissionais da área.

Seja um profissional disputado no mercado de trabalho, ganhe mais dinheiro, desenvolva uma característica que ninguém nasceu com ela, a de não reclamar de absolutamente nada, mas de resolver qualquer situação, sendo você o culpado ou não!

Essa simples dica tem mudado carreiras, vidas e faturamento de pessoas por todo país e parte do mundo. Tenha um bom treino.

 

Um abraço
Renner Silva

Aumente suas vendas com essa simples técnica

Existe relação entre volume de vendas e reclamação? Na verdade existe ligação entre a reclamação e qualquer área que dependa de outra pessoa. Pense comigo, quais são as coisas que você mais deseja na vida:

  • Dinheiro
  • Amor
  • Paz
  • Sexo
  • Estabilidade financeira
  • Amigos
  • Filhos / família
  • Você pode listar outras coisas mais…

Perceba que TODAS essas coisas dependem de outras pessoas! Ou como já dizia o amigo palestrante Professor Pachecão: “Tudo que você quer na vida está na mão das pessoas”. E essa é a mais pura verdade!

Então, o que fará essa pessoa querer lhe dar o que deseja?

Existem vários estudos sobre como fazer alguém querer fazer algo por você. Por exemplo, existe um livro clássico com diversas dicas que eu indico a você: “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas”, de Dale Carnegie. Mas, mesmo com todas essas técnicas, você colocará tudo a perder se você for uma pessoa desagradável, principalmente uma pessoa amarga que reclama o tempo todo.

Tenho um desafio para você! Passar o dia de hoje observando intensamente o quanto as pessoas reclamam de tudo. Topa o desafio? Se conseguir, conte o número de vezes que você vê alguém reclamando sobre algo… Porém, pegue esse resultado e lembre-se que você é ser humano assim como elas e que possivelmente, sem perceber, reclama da mesma forma.

Sabe qual o grande problema disso? É que as relações comerciais têm sido cada vez mais relações pessoais.

Qualquer estudioso ou especialista na arte das VENDAS sabe que hoje as pessoas não compram produto e serviços, elas compram de pessoas. Na maioria das vezes, nem é o melhor preço que define a compra, mas sim a confiança, segurança, atenção e amabilidade da PESSOA do vendedor.

Responda: você tem o prazer em ficar na companhia de uma pessoa que reclama de tudo e o tempo todo? Não? Seu cliente também não.

Nós temos a impressão que ao virarmos as costas a pessoa ou o vendedor vai reclamar da gente também, não é mesmo?

O problema é que você não consegue desenvolver a habilidade de não reclamar somente no trabalho, você não consegue separar as coisas, pois o perfil de cada pessoa é único, ela age daquela forma em qualquer área da sua vida.

Logo, não perca mais tempo, comece agora a desenvolver em você, dia após dia, o processo da “não reclamação”. Sinta como as pessoas estarão mais a seu favor, como elas farão mais coisas por você. Assim, tudo na sua vida começa a mudar, pois tudo depende delas, de um simples abraço à uma comissão farta no final do mês.

Boa semana, boa “Não reclamação” e boas vendas.
Renner Silva