Engajamento de Equipes Empresariais

Uma equipe engajada entrega melhores resultados. Porém, o desafio começa já no início da frase anterior: equipe engajada. Como atingir esse objetivo? Como engajar várias pessoas ao mesmo tempo em prol de um objetivo?

Se você é um profissional dos Recursos Humanos ou um empresário e está buscando colocar em prática ações para aumentar o engajamento da sua equipe, esse conteúdo é para você. E já vamos te dando um spoiler: o engajamento está diretamente relacionado com a felicidade corporativa dos seus colaboradores. Pense se seus colaboradores são felizes trabalhando nesta empresa?

Veja algumas ideias que funcionam na hora de querer engajar uma equipe rumo ao alcance de um objetivo comum.

Felicidade corporativa

Sim, ela existe e é muito importante. Quer uma forma rápida de medir a felicidade corporativa de seus funcionários? Envie um formulário com uma única pergunta: “De 0 a 10, quais são as chances de você indicar amigos e familiares para trabalhar na nossa empresa?” Se você tem conhecimentos de marketing, saberá que essa pergunta é também utilizada para medir o nível de satisfação de um cliente de uma empresa.

Os colaboradores, nada mais são do que seu cliente interno. E, se ele não tiver feliz com a empresa, você acha mesmo que ele terá o trabalho de se engajar em prol de um objetivo? Bem provável que não.

Bom, com os resultados desta breve pesquisa você poderá medir o nível de felicidade corporativa dos seus funcionários. Vale lembrar que não estamos aqui para saber o porquê eles estão ou não felizes. Esse momento é só para entender se eles estão ou não felizes trabalhando para a sua empresa.

Eventos motivacionais

Não conseguimos agradar todo mundo ao mesmo tempo. Nem tente fazer isso para não se sentir decepcionado a cada tentativa. Porém, devemos sim focar em agradar a maioria. Por isso, é preciso que a felicidade corporativa esteja entre a maioria dos seus colaboradores. Funcionários felizes conseguem ter altos níveis de motivação.

Os eventos motivacionais podem ser um ótimo combustível para incentivar que esse sentimento esteja presente internamente no seu colaborador. Motive através de eventos com pessoas que tem um case de sucesso para contar ou que tenha uma história de vida bastante desafiadora, mas que venceram e encontraram as suas felicidades, seja na vida pessoal como na profissional.

Educação corporativa

A educação focada em treinamentos empresariais focados em estratégias ou qualificação de mão de obra. Oferecer conhecimentos novos para a sua equipe é outra fonte de engajamento que pode ser usada pela sua empresa.

Outro detalhe importante aqui é dar espaço para que a equipe consiga aplicar esses novos conhecimentos, pois o maior aprendizado é quando colocamos em prática. Uma equipe que recebe muitos conhecimentos, mas tem processos muito engessados e que não permitam que ela aplique esses conhecimentos tende a se desmotivar.

Por isso, além de oferecer conhecimento é importante que a sua empresa abra caminhos para colocar tudo isso em prática, fazendo com que os colaboradores se sintam animados e consigam colher frutos do próprio trabalho.

Líder mostra o porquê, não somente o como

Dê bons treinamentos aos seus líderes para que eles consigam gerir e engajar as equipes da maneira correta. Um líder ajuda a equipe a definir o “como” fazer para atingir o objetivo, mas ele também deixa muito claro o porquê todos da equipe estarão destinados a buscar esses resultados. Não dar um motivo ou um propósito para o trabalho executado é um dos principais motivos de uma equipe desmotivada e sem engajamento.

Se você quer colocar em prática nossas ideias de engajamento de equipe, saiba que nosso time está 100% engajado a ajudar a sua empresa a buscar maiores índices de felicidade corporativa, oferecendo soluções de gestão focadas em incentivar a sua equipe a entregar melhores resultados. Entre em contato conosco e vamos falar sobre o seu negócio!

Como aumentar as vendas da minha equipe?

Você já tentou de diferentes formas aumentar as vendas da sua equipe e não obteve sucesso ainda? Você pode estar vendo esse aumento de venda de forma muito técnica e está se esquecendo que quem está ali, frente às suas vendas, são seres humanos. E sabe o que mais motiva o ser humano? A felicidade.

Se já aplicou técnicas famosas para tentar aumentar as vendas da sua equipe e não colheu bons frutos, talvez seja hora de você voltar lá para o básico, investir um pouco de tempo e descobrir como deixar sua equipe mais feliz para, então, pedir melhores resultados. Veja algumas dicas que você pode aplicar ainda essa semana na sua equipe.

Compartilhe um TED Talk

TED é uma organização sem fins lucrativos, que tem como missão compartilhar ideias inspiradoras, criativas e motivadoras. Os assuntos são dos mais variáveis e as palestras são curtas, de no máximo 18 minutos. É direto ao ponto com conteúdo que entrega valor. Há um canal no Youtube com TED de pessoas de todo o mundo abordando diferentes assuntos.

Mas não pense que estamos incentivando você a buscar um TED sobre alguma técnica nova para vender mais. Muito pelo contrário. Sem falar nada sobre vendas, falaremos tudo sobre vendas. Busque um TED onde aborde o conceito de felicidade e de como o ser humano alcança esse estado de SER que é tão desejado por todos. Todos nós queremos ser felizes. Mas o que é felicidade?

Motive as pessoas a buscar sonhos

Normalmente, precisamos de recurso financeiro para realizar um sonho. E, no mundo atual, recebemos dinheiro quando trabalhamos. Por isso, incentivar alguém a buscar o sonho é também motivar essa pessoa a trabalhar da melhor forma possível para que o seu sonho seja alcançado o quanto antes.

Inicie discussões na sua equipe sobre o sonho de cada um e qual o plano de ação para realizar esse sonho.

Use cases de sucesso de quem já chegou lá

Encontre um depoimento de quem se considera feliz e compartilhou sua experiência com o mundo. Pode ser através de texto ou de vídeo. Mostre à sua equipe de vendas que a felicidade existe e quem são as pessoas que se consideram feliz e o porquê.

Convide alguém para fazer uma palestra motivacional para a sua equipe de vendas. Quando nós conseguimos materializar a pessoa que já atingiu o sucesso lá, na frente delas, em carne e osso, os resultados no aumento de vendas são perceptíveis já nos primeiros dias.

Por que sua empresa vende o que vende?

Agora que a sua equipe entende que a felicidade está totalmente relacionada a pequenas atividades diárias, incluindo nosso trabalho, você entrar no assunto sobre o porquê a empresa onde eles trabalham vendem esse produto ou oferecem esse serviço.

Quando as pessoas entendem o motivo do todo, elas se sentem mais motivadas a venderem aquilo, pois elas têm uma história para contar e entendem o motivo pela qual elas estão vendendo isso. Lembre-se que nós, seres humanos, não compramos o que a empresa vende, compramos o porquê a empresa vende.

Veja e trate seu time de vendas como pessoas chaves para o sucesso da empresa

A empresa busca lucro, afinal, é isso que a faz desenvolver e se manter no mercado. Porém, não se pode esquecer que quem gera lucro são as pessoas que trabalham para você. Entenda que seu time de vendas também tem família, tem sentimentos, tem dificuldades, tem medos e, principalmente, querem se felizes.

No meio de tanta tecnologia e máquinas, lembre-se que as pessoas continuam em busca de propósito e de felicidade, enfrentando desafios e celebrando alegrias. Um colaborador que se sente entendido e valorizado entrega melhores resultados e busca sempre as melhores soluções para a empresa.

Como convencer e motivar a minha equipe?

Na rotina diária são tantos afazeres: casa, boletos, filhos, escola, universidade, trabalho. Não é à toa que muitos funcionários se sentem desmotivados no trabalho. Às vezes, as questões envolvidas são pessoais, em outras, a estrutura corporativa da organização pode ser a responsável pelo desânimo. Por isso hoje vamos ensinar como convencer e motivar a equipe.

Antes de tudo, por que a equipe está desmotivada?

Pois é! Antes de aprendermos a convencê-la ou a propor estratégias de motivação, é preciso entendermos o que faz o efeito contrário.

Algumas das ações que causam desmotivações compreendem, por exemplo, críticas públicas sobre o trabalho de um dos membros; metas exageradas e que exigem prazos impossíveis de serem alcançados; falta de autonomia na tomada de decisões; tratamento desigual entre os funcionários e até desperdício de tempo.

Sabe aquela reunião que você marca todo final do dia, na esperança de que fará uma gestão melhor? Desista, pois são ações assim – desnecessárias – que levam a motivação da equipe pelo ralo.

A pergunta é: dá para reverter tudo isso e motivar a equipe?

Sim. Separamos, portanto, alguns passos que irão lhe ajudar a convencer e motivar a sua equipe.

  • Comece planejando o futuro: para isso, você deve ser sincero quanto à contratação de determinado funcionário. Ele necessita conhecer quais as possibilidades que tem na empresa e, da mesma forma, você precisa se planejar para ver se isso é possível.
  • Invista na comunicação: essa é uma das principais dicas. Se você transmite uma ideia equivocada ou não sabe se expressar, os resultados não serão alcançados. Da mesma forma, você deve dialogar e abrir mão do controle.
    Convencer uma equipe é isto: demonstrar, por meio da conversa, que os funcionários são capazes de se envolver e trazer resultados positivos para a organização.
  • Dê autonomia: estimule a confiança na equipe. Se você determina tudo a ser feito e não permite a experimentação, por exemplo, isso acaba desmotivando os funcionários. É claro que deve haver planejamento para as coisas, mas eles são capazes de tomar decisões quando envolvido em tarefas mais complexas. Afinal, existe algo mais chato que o colaborador que pergunta tudo para você, pois sabe que qualquer deslize é motivo para ser mandado embora?
  • Ofereça educação corporativa: mais que um treinamento para os funcionários, a educação corporativa mostra qual a causa social da empresa,ou seja, como a organização contribui para a sociedade. Esse é um fator que permite ao funcionário se identificar com as estratégias e objetivos da empresa a longo prazo. Portanto, mais que exigir habilidades, a empresa pode oferecer ações que estimulem esse “alinhamento” de ideias.
  • Promova ações motivacionais: isso não tem nada a ver em dizer para o funcionário vestir a camisa da empresa, pensar fora da caixa ou qualquer outras frases vazias que ouvimos por aí. Estamos falando de valorizar a equipe e propor encontros em que o profissional possa expressar a sua opinião sem medo de represálias, sugerir ideias novas, comemorar conquistas e pensar em estratégias para superar o que deu errado.

Humanidade, algo a ser incentivado no ambiente corporativo

Outra dica essencial é que não são apenas as grandes empresas que conseguem motivar os funcionários. Uma organização pequena, que mostra o seu papel e oferece possibilidade ao colaborador para crescerem juntos também pode (e deve) convencer e motivar os seus profissionais.

Lembre-se, ainda, que é a qualidade de vida que determina o quanto o trabalhador está satisfeito na empresa. Um funcionário não é uma máquina que está disponível 24h por dia. Afinal, ele tem família e vida social – estes itens precisam ser incentivados pelos líderes.

A ideia de valorizar o bem-estar dos funcionários da empresa é denominada como a ciência da felicidade corporativa. Esse conceito significa que significa que: se há motivação no trabalho porque as outras áreas da vida também estão bem. Sabe aquele pai que precisa sair mais cedo para buscar o filho na escola? Então, não recrimine, pois os funcionários apenas estão sendo o que todo mundo deveria ser: humanos.

Como criar um ambiente de inovação nos negócios?

Inovação. Essa palavra virou um dos termos mais discutidos e reproduzidos no mundo dos negócios, algo que todas as empresas buscam e querem alcançar. Mas, apesar de extremamente famosa, existe muita dificuldade em reproduzi-la, em grande parte porque o mundo empresarial não é feito para isso. Então, como criar um ambiente de inovação nos negócios?

Quebrando os paradigmas

Imagine que um funcionário tem uma ideia inovadora. Agora, pense como se dá esse processo dentro de uma empresa, especialmente as maiores. Para que ela dê certo e que a ideia se transforme em inovação, é preciso que muitas coisas deem certo.

Primeiramente, o colaborador precisa ter espaço para expor a sua ideia. Muitas empresas não criam esse ambiente em que o funcionário pode falar, compartilhar os seus pensamentos, sugestões e críticas.

Porém, é preciso entender que inovação vem de todos os lugares e a empresa precisa dar espaço para isso.

Além disso, os líderes e gestores precisam ter humildade e capacidade de reconhecer as boas ideias. Ainda existe um apreço forte pela hierarquia, e os gestores limitam a capacidade de “pensar” dos funcionários. Pior do que isso, é preciso convencer a diretoria de que essa ideia vale a pena.

Em uma grande empresa isso é muito difícil, pois existe mais burocracia, mais hierarquia e geralmente, menos espaço para inovação. Então, como criar esse ambiente?

É simples. Basta implementar a ciência da felicidade.

O que é a ciência da felicidade?

A ciência da felicidade, especialmente no mundo empresarial, se resume em liderança positiva. Ou seja, focar em pontos positivos do funcionário, trazendo reconhecimento pelo seu trabalho a cada dia. Isso não significa negligenciar os erros, que precisam ser gerenciados, mas colocar os acertos em um ponto de foco.

Essa ideia de psicologia positiva surge de uma mudança de paradigma em todos os aspectos dessa disciplina. Por exemplo, ao consultar uma terapeuta, qual é a primeira pergunta que ela faz? “O que há de errado?”; “Quais os problemas que você procura corrigir?” ou alguma variação disso.

No trabalho, isso funciona da mesma forma. O foco muitas vezes é no erro dos profissionais, nas suas falhas, negligenciando um pouco os seus acertos. Como é possível então ser inovador em um ambiente onde o enfoque são os erros? Qual é o incentivo para arriscar e lançar uma ideia, se um acerto passa despercebido e um erro será ampliado?

A ciência da felicidade e a inovação

É aí então que entra a união de ambos os pontos. A ciência da felicidade é um ótimo ponto de partida para a inovação. Ao aplicá-la, o que muda do cenário descrito acima?

Um profissional que vê um ambiente em que seus esforços são recompensados e suas fraquezas não são punidas tem muito mais motivação para inovar. Ele se sente mais confortável em expor a sua ideia, contribuir para o todo e compartilhar opiniões francas, pois sabe que se ela der certo, ele terá o mérito e se não der, ainda terá mesmo assim, pois ele tentou inovar e isso já é uma grande vitória.

Uma parte das empresas, mesmo ainda hoje, trabalham em um modelo de gestão que busca limitar e enquadrar os colaboradores na sua função. Já outra parte busca aplicar a ciência da felicidade e a liderança positiva para criar um ambiente em que eles possam arriscar e se sintam motivados a isso. Qual você acha que inova mais? Qual das duas é a que tem mais chance de sucesso?

A FELICIDADE como diferencial competitivo

Quando você sai de casa e vai à padaria, você prefere que o atendente seja feliz ou infeliz? Daí, você passa no posto de gasolina, prefere que o frentista seja feliz ou infeliz? Então, vai ao banco, vai preferir uma gerente feliz ou infeliz? Um dentista feliz ou infeliz? Médico? Borracheiro? E um VENDEDOR? E a pergunta fundamental é, por que você prefere que esses profissionais sejam felizes?

Sempre faço tais perguntas às pessoas e as respostas não devem ser tao diferentes das que você pensou ai:

  • Porque a energia de uma pessoa feliz contagia
  • Porque a pessoa feliz vai me atender melhor, com mais alegria.
  • Porque sorrisos são capaz de mudar o dia de outras pessoas
  • Porque o dentista ia ser mais cuidadoso e me gerar menos dor, me deixar mais a vontade, etc.

Certamente nós temos um prazer inconsciente em voltar àquele estabelecimento e gastar lá nosso suado dinheiro, não é mesmo?

Então encontramos a solução para um novo modelo de mercado: Aumentar a felicidade dos profissionais! O difícil sempre foi encontrar uma maneira de fazer isso, afinal, como assim aumentar felicidade?

Bom, talvez nossos problemas estejam caminhando para uma solução. Há alguns anos o israelense Tal Ben Shahar, criou em Harvard, a aula que seria em pouco tempo a mais popular daquela e de varias outras universidades pelo mundo, a “Aula de Felicidade e bem-estar”. De lá pra cá, devido a resultados surpreendentes essa aula se espalhou por muitos países e tem sido um sucesso na vida pessoal e profissional de milhões de pessoas.

Pesquisas e mais pesquisas quando comparam profissionais felizes e não felizes, concluíram que:

  • Médicos felizes são 3x mais inteligentes e criativos, o que lhes dão uma capacidade maior em acerto de diagnósticos em tratamentos;
  • Vendedores felizes fecham 56% mais vendas;
  • Gestores felizes aumentam significativamente a eficácia e reduzem o estresse no ambiente de trabalho;
  • Colaboradores felizes têm melhor desempenho e salário mais alto, além de reduzirem 15 dias/ano de afastamento por doenças;

FONTE: (Shawn Achor em: “O jeito Harvard de ser Feliz”.)

Além disso, os mais felizes são:

  • 25% mais eficientes;
  • 47% mais produtivos;
  • 50% mais motivados;
  • 82% mais satisfeitos;
  • 108% mais engajados, quando se comparados com colaboradores “não felizes”

FONTE: (Pesquisa da coach britânica Jessica Pryce-Jones)

Então, fica bem claro que SIM, é possível aprender e aumentar o nível de felicidade nas empresas, e que pessoas felizes são de longe a solução de muitos dos problemas, em especial do varejo, pois uma vez que entendemos a necessidade das relações humanas nesse setor, precisamos nos atentar para o nível de felicidade das pessoas, responsáveis por fazer nossos resultados acontecerem.

No Brasil, o Método S.I.M traz diagnósticos e ferramentas praticas para se aumentar os níveis de felicidade e eu resolvi trazer algumas ferramentas que usadas no dia a dia, tende a virar um habito que certamente aumentará seus níveis de felicidade aumentando sua produção natural de hormônios como serotonina, ocitocina, endorfina dentre vários outros que fisiologicamente, são quem garante sua felicidade e bem-estar.

  • Atividade física regular. Mas qual a melhor? A resposta é: qualquer uma que você consiga se divertir com ela.
  • Alimentação saldável. Determine pelo menos UMA refeição do dia para que seja saudável. Certamente essa quantidade vai aumentando por te fazer sentir a desejada sensação de felicidade e bem-estar.
  • Seja grato conscientemente! Prepare um pequeno caderno próximo à cama e todos os dias, escreva UMA coisa boa que aconteceu no seu dia que você é grato (acordei, com saúde, fiz uma refeição que eu gosto, vi meu filho etc) e logo após UMA coisa “ruim”que aconteceu mas que te fez aprender ou desenvolver algo (meu ônibus atrasou, não vendi nada, meu pneu furou) e logo após escreve o que aprendeu e desenvolveu (resiliência, paciência, habilidade de trocar pneu, habilidade de me virar sozinho, etc.

Faça isso TODOS os dias, pois quando estiver em um dia ruim, leia aquilio que escreveu. Certamente vai se lembrar do quanto você tem muito mais motivos para agradecer do que para lamentar.

Aumente o seu nível de felicidade, pois a frase que fica cada vez mais evidente é “Ter sucesso não te garante felicidade, mas ser feliz te garante o sucesso”.

Renner Silva

4 motivos para a sua empresa investir hoje mesmo em uma consultoria de felicidade

Bons salários, clima organizacional agradável, programas de incentivo e missão relevante são fatores que influenciam os níveis de satisfação dos funcionários de uma organização. Esses conceitos são muito presentes tanto em organizações tradicionais quanto em startups mais descentralizadas.

Contudo, seja lá qual for o modelo de negócio predominante em uma empresa, as iniciativas que visam aumentar o bem-estar dos funcionários representam potenciais para o crescimento e lucratividade do negócio.

Veja, a seguir, alguns bons motivos para investir em consultoria de felicidade e entenda como essa iniciativa pode se converter em benefícios para a sua empresa. Acompanhe!

Eleva os níveis de satisfação dos funcionários e promove uma imagem positiva da organização

As organizações que se preocupam com o bem-estar dos seus funcionários e, por isso, criam programas e iniciativas como a consultoria de felicidade são mais bem vistas pelo mercado e pela sociedade em geral.

Na verdade, a imagem da empresa e a satisfação dos funcionários são dois fatores que estão intrinsecamente relacionados, pois funcionários felizes não apenas realizam as suas atividades com desempenho superior, como também promovem a organização em que trabalham.

As publicações anuais que as mídias de diversos formatos divulgam sobre as melhores organizações para trabalhar representam bem essa associação. Além disso, esse retorno positivo é um dos fatores relacionados à lucratividade de empresas reconhecidas por essa característica.

Aumenta as vendas e a lucratividade da empresa

De acordo com uma pesquisa desenvolvida pela Social Market Foundation, vendedores considerados felizes têm desempenho 37% superior nas vendas realizadas.

Esses profissionais são mais proativos e engajados, além de serem considerados melhores solucionadores de problemas que os seus colegas mais estressados e apáticos.

Quando tratado como uma questão séria e fundamental para o sucesso da organização, o fator felicidade pode elevar significativamente a lucratividade de um negócio.

Estimula a criatividade, a inovação e a solução de problemas

A relação entre o desempenho superior em vendas e a felicidade traz consigo outros benefícios. Profissionais felizes são mais bem-sucedidos não apenas lidando diretamente com o público, mas também nas outras áreas de forma geral.

Isso acontece porque a felicidade parece ter um efeito revigorante no ser humano. Nesse estado emocional, o processo criativo flui livremente, há maior disposição para a inovação e para resolução de problemas.

Promove a cooperação, o trabalho em equipe e melhores relações de trabalho

Em ambientes desagradáveis e excessivamente competitivos, os funcionários tendem a adotar uma postura inflexível e individualista. Além de estressante, um trabalho que precisa ser realizado nesse tipo de atmosfera tende a ser mediano.

Logo, as iniciativas que buscam promover a felicidade no contexto corporativo representam um caminho para evitar que esse tipo de mentalidade e atitude tome conta do ambiente de trabalho.

Funcionários felizes têm maior capacidade de cooperação e de realizar atividades em equipe. Além disso, o espaço para demonstrar empatia se amplifica, o que contribui para melhorar e fortalecer as relações de trabalho.

Neste artigo você conheceu alguns bons motivos para investir em uma consultoria de felicidade. Agora, que tal entrar em contato e descobrir mais sobre os benefícios que as estratégias para tornar os seus funcionários mais felizes podem trazer para a sua empresa?

Como profissionais felizes podem impactar nas vendas do meu negócio?

A felicidade pode ser obtida através de diferentes fontes: relacionamentos, uma visão de mundo clara e, talvez, um propósito de vida bem definido. O fato é que esse estado emocional influencia os níveis de disposição, proatividade e iniciativa de uma pessoa.

Um salário satisfatório e um clima organizacional agradável, sozinhos, não são suficientes para criar um ambiente que incentive a produtividade. É necessário incluir nessa equação fatores mais subjetivos como as emoções.

Logo, não é surpresa que a felicidade no trabalho esteja relacionada a níveis mais elevados de produtividade. O vínculo entre felicidade e produtividade se torna ainda mais significativo em trabalhos em envolvem o contato com o público, como atendimento ao cliente e vendas.

Saiba, a seguir, porque os profissionais mais felizes são melhores vendedores e o que a ciência tem a dizer sobre a relação entre felicidade e produtividade. Vamos lá!

A felicidade pode ser uma vantagem profissional?

Uma pesquisa desenvolvida pela Universidade de Warwick apontou que profissionais mais felizes são 12% mais produtivos. A felicidade surge como fator motivador significativo no ambiente profissional e torna os trabalhadores mais engajados em suas atividades.

Portanto, a felicidade no ambiente profissional pode representar uma vantagem competitiva tanto para o colaborador quanto para a organização.

Em nível individual, o estado emocional que a felicidade proporciona faz com que o profissional se torne mais criativo e melhor como solucionador de problemas. Além disso, a predisposição para a cooperação e o trabalho em equipe também aumentam.

Já em nível organizacional, o mesmo estudo evidencia que as empresas que levam a sério o fator felicidade e fazem investimentos para aumentar o bem-estar dos seus funcionários se beneficiam com o aumento dos níveis de satisfação e produtividade, o que traz maiores lucros.

Por que profissionais felizes vendem mais?

A felicidade aumenta a produtividade independente da área de atuação profissional. Contudo, a relação entre esses dois aspectos se torna ainda mais significativa na área de vendas.

Um estudo desenvolvido pela Social Market Foundation indicou que os profissionais com níveis mais elevados de felicidade conseguiam aumentar as vendas em até 37%.

A felicidade no trabalho na área de vendas se reflete no modo como o atendimento ao cliente é realizado e no engajamento em ajudar outras pessoas a encontrarem o que procuram e resolverem seus problemas.

Todos nós já vivenciamos experiências positivas e negativas com vendedores. Assim, não é difícil admitir que um profissional atencioso, simpático e sorridente nos torna mais dispostos a comprar e consumir bens e serviços que não tínhamos, inicialmente, a intenção de obter.

Por fim, vale chamar atenção para os ganhos indiretos que os investimentos em felicidade no ambiente de trabalho trazem: profissionais satisfeitos acabam por promover a organização em que trabalham.

Essa postura de apreciação não apenas contribui para aumentar o lucro da empresa, como também para atrair talentos em proporção cada vez maior.

Agora que você já sabe qual é a relação entre felicidade e produtividade, acesse aqui para entender melhor como a felicidade pode aumentar as suas vendas e se converter em lucro para o seu negócio?

Conheça 5 benefícios que uma consultoria de felicidade pode trazer para a sua empresa

Você provavelmente já ouviu falar em consultoria financeira, de vendas, de marketing, jurídica e tantas outras. Mas, e a consultoria de felicidade, você conhece? Essa é uma novidade que está transformando as empresas para melhor, porque vem totalmente alinhada às novas tendências em empreendedorismo e gestão de pessoas.

Saiba agora, os benefícios que um serviço como esse pode proporcionar para o seu time.

Aumento da produtividade

Uma coisa é fato: colaboradores felizes se empenham mais no exercício das suas funções. Isso porque o trabalho deixa de ser um fardo para ser algo prazeroso. No fim, todo mundo sai ganhando, já que esse aumento da produtividade vai refletir direta e positivamente nos resultados da companhia. Afinal, é possível ser feliz no trabalho!

Inclusive, um estudo da Universidade da Califórnia mensurou a relação entre a felicidade e a produtividade. De acordo com a pesquisa, um trabalhador feliz é mais de 30% mais produtivo, três vezes mais criativo e pode conseguir vender quase 40% a mais.

Retenção de talentos

Grandes talentos deixam a empresa porque não se sentem felizes no trabalho. Inclusive, um dos grandes desafios do empreendedor atual é justamente a retenção de talentos. Colaboradores que agregam muito para a equipe acabam se desligando e, muitas vezes, indo até trabalhar na concorrência. Além dessa questão de perder alguém que faz a diferença, ainda é preciso levar em conta que a rotatividade gera custos financeiros: os processos de recrutamento, seleção, admissão, capacitação e integração envolvem dinheiro.

Se os profissionais estiverem felizes no ambiente de trabalho, a taxa de turnover tende a diminuir significativamente. Eles não vão sentir a necessidade de procurar uma oportunidade fora, pois o emprego atual já proporciona a satisfação buscada.

Melhor empresa para se trabalhar

Você certamente já se deparou com algum ranking que elenca as empresas mais desejadas para se trabalhar. Os melhores empreendimentos nesse sentido são aqueles que investem em boas condições e na felicidade dos seus times.

Imagine quanto tempo os colaboradores passam no exercício das suas profissões: considerando que todo mundo deseja ser feliz, as empresas mais almejadas naturalmente são as que se preocupam com isso e sabem que ser feliz durante o expediente é parte fundamental da felicidade genuína.

Propósito: um dos pilares da felicidade

Chamamos de geração millennial aquela formada por pessoas que nasceram entre o começo dos anos 80 e meados dos anos 90. Ou seja, justamente o grupo que está dominando as vagas de trabalho na maior parte das empresas. A questão é que os millennials têm uma relação diferente com a profissão se comparado às gerações anteriores. Enquanto, antes, o emprego era visto apenas como um meio para obter o sustento, hoje em dia ele é encarado como um caminho para a realização pessoal, ou seja, precisa de um propósito.

O propósito é um dos pilares da felicidade, porque é aquilo que dá sentido à vida e ao dia a dia. Trabalhar por um objetivo que vai além de simplesmente garantir o sustento é capaz de motivar os colaboradores a saírem de casa todos os dias, sabendo que estão construindo algo para si. Uma vida sem propósito é uma vida vazia.

Engajamento

Todos esses benefícios citados acima resultam em colaboradores mais engajados, que vestem a camisa da empresa e tornam-se promotores da marca. Isso significa que além de se dedicarem mais em suas tarefas, eles também serão mais proativos e comprometidos com o sucesso do empreendimento! Todas essas informações são pautas em pesquisas que cada vez mais indicam a importância da felicidade no ambiente profissional.

Quer saber mais sobre consultoria de felicidade? Entre em contato!